Gastrenterologia nacional sai reforçada de Vilamoura

Terminou ontem a “Semana Digestiva 2013”, um dos principais acontecimentos médico-científicos em Portugal e o maior na área da Gastrenterologia que, durante quatro dias reuniu médicos, enfermeiros e doentes, no Centro de Congressos de Vilamoura. Chegada a hora de fazer o balanço, Hermano Gouveia, presidente da Comissão Organizadora, afirma que “foi científica e humanamente muito importante esta reunião magna da Gastrenterologia portuguesa”. Ao longo dos quatro dias de congresso, decorreram mais de 30 conferências, palestras e simpósios, comunicações orais, mini cursos e um curso pós-graduado de Endoscopia Digestiva que cobriram todas as áreas de intervenção da gastrenterologia, desde as patologias mais comuns como a doença do Refluxo gastro esofágico ou o Síndrome do cólon irritável, até às mais agressivas como a Insuficiência Hepática, a Doença Inflamatória do Intestino, ou os tumores digestivos.

Gastrenterologia

foto google

No decorrer da manhã de ontem, o último dia da Semana Digestiva, realizou-se ainda o Espaço CEREGA (Centro Nacional de Registo de Dados em Gastrenterologia), uma estrutura ligada à Sociedade Portuguesa de Gastrenterologia (SPG) que visa criar condições e apoiar o desenvolvimento de estudos cooperativos nacionais sobre as doenças do foro da gastrenterologia e hepatologia.

Neste espaço foram apresentados quatro estudos, três em início de desenvolvimento e um quarto, já com base de dados constituída e aprovação da Comissão Nacional de Proteção de Dados, em fase de arranque com inscrição dos diversos centros interessados. O registo das hepatites tóxicas, víricas e dos tumores submucosos em Portugal está já a decorrer e tem como propósito colmatar a escassa informação epidemiológica a nível nacional sobre as hepatites, tumores e outras doenças do aparelho digestivo, “podendo vir a ter um grande impacto na Hepatologia nacional”, afirma António Curado, presidente do CEREGA.

No amplo espectro de patologias da área gastrenterológica, incluem-se todas as que afetam o tubo digestivo – Esófago, Estômago, Intestino Delgado e Cólon – assim como as Vias Biliares, Fígado e o Pâncreas. No seu conjunto, as doenças do foro digestivo afetam três em cada dez portugueses. O aparelho digestivo concentra a maior parte dos tumores que afetam o ser humano – o Cancro do Cólon e Reto, do Estômago, do Fígado e vias biliares e do Pâncreas.

O objetivo de aprofundar o conhecimento e novas técnicas para o diagnóstico e tratamento dos doentes levou ao Centro de Congressos de Vilamoura mais de 800 participantes, na sua maioria gastrenterologistas, mas também cerca de 80 enfermeiros, vindos do continente e das regiões autónomas.

Depois de quatro dias de intensa atividade científica, Hermano Gouveia considera que a gastrenterologia nacional sai deste encontro reforçada e com “mais segurança no futuro. Com isso beneficiamos nós os médicos mas, sobretudo, os nossos doentes”, conclui.

By Algarve Press

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s