“Sistema de Tratamento de Águas Residuais de São Marcos da Serra tem empreitada

Águas do Algarve, S.A. consignou a empreitada alusiva ao “Sistema de Tratamento de Águas Residuais de São Marcos da Serra. Mais um investimento na Região algarvia de valor aproximado a €800.000€ (Oitocentos mil euros). Esta empreitada, adjudicada à empresa Martifer – Construções Metalomecânicas, pelo valor de €851.793,20 (oitocentos e cinquenta e um mil, setecentos e noventa e três euros e vinte cêntimos) inclui construção de uma Estação de Tratamento de Águas Residuais ( ETAR) de São Marcos da Serra e o respetivo Sistema Interceptor.

CAM00055[1]Esta importante obra para o concelho de Silves inclui a execução das obras de construção civil (movimentos de terras, órgãos de betão armado e circuitos hidráulicos), o fornecimento e montagem de equipamentos (metalomecânicos, electromecânicos, eléctricos, automação e instrumentação) da ETAR de São Marcos da Serra que será dimensionada para uma população equivalente de 1000 habitantes, e a construção de duas estações elevatórias e respectivo sistema interceptor.

A ETAR de S. Marcos da Serra servirá os lugares de S. Marcos da Serra, Estação de S. Marcos e Cruzamento, da freguesia de S. Marcos da Serra, e ficará localizada na margem esquerda da Ribeira de Odelouca. Os lugares abrangidos por este Sistema são atualmente servidos por rede de drenagem de águas residuais com descargas diretas para a Ribeira de Odelouca.

ribeira ODELOUCAfoto google

A afluência à ETAR de S. Marcos da Serra é predominantemente de origem doméstica e prevê-se que o quadro de qualidade da descarga seja atingido pela linha de tratamento que compreende a fase líquida e fase sólida, numa única linha.

A rede de drenagem de águas residuais atualmente em funcionamento em S. Marcos da Serra serve a maior parte da povoação. As águas residuais geradas são lançadas sem qualquer tratamento prévio em quatro pontos da Ribeira de Odelouca. Para eliminar estas descargas e encaminhar gravíticamente a totalidade das águas residuais para um único ponto, para posterior tratamento conjunto, será necessário remodelar e complementar a rede em quatro zonas.

Odeloucafoto google

O sistema interceptor gravítico a executar compreende:

  • a eliminação de todas as descargas para a ribeira, atualmente existentes;
  • o atravessamento da Ribeira de Odelouca;
  • os emissários de ligação ao poço de bombagem incluindo o que transportará as águas residuais geradas na zona dos restaurantes situados junto ao IP-1 e que atualmente são também descarregadas na Ribeira de Odelouca.

A Águas do Algarve, S.A. congratula-se pelo facto da construção desta ETAR vir proporcionar globalmente, além da melhoria direta e indireta das condições sanitárias das populações locais uma melhoria da qualidade dos meios hídricos na zona.

As melhorias passam por um lado por servir populações até agora carenciadas deste tipo de infraestruturas e por outro implicar a desativação das instalações de tratamento antigas com más condições de funcionamento devido não só ao subdimensionamento que se verifica atualmente bem como a expansão prevista para as diferentes áreas servidas.

Com este investimento, ganham as populações envolvidas, e ganha o meio ambiente.

By Algarve Press

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s