“Para Apetite ter, nada melhor do que comer!”

São Brás de Alportel convida a saborear V Quinzena Gastronómica a passo de caracol. Em conferência de imprensa, realizada esta quarta feira, dia 13, junto a um antigo alambique na Casa de Pasto Fortes, em Parises, a V Quinzena Gastronómica “Sabores do Caldeirão” de São Brás de Alportel convidou a desvendar os saberes e sabores da dieta mediterrânica a passo de caracol.

Quinzena_gastronomicaEsta 5ª edição da Quinzena Gastronómica, a decorrer de 19 de março, a 1 de abril, em 6 restaurantes do município são-brasense, Adega Nunes, Fonte da Pedra, O Marquês, Sabores do Campo, Ysconderijo e Fortes dá continuidade ao sabor da tradição, juntando no mesmo caldeirão os princípios da alimentação mediterrânica, perfumados pelo conceito Slow Food e uma pitada de produtos locais.

apresentA apresentação pública da Quinzena Gastronómica contou com as intervenções do Vice-presidente da Câmara Municipal, Vitor Guerreiro, a Presidente da Associação Slow Food Algarve, Otília Eusébio, a Vereadora do Turismo da Câmara Municipal, Marlene Guerreiro, o Presidente da Câmara Municipal e Presidente da Associação Nacional das Citta Slow, António Eusébio e o padrinho desta 5ª edição, Rui Soares, Presidente da Associação Presidente da Associação Internacional de Paremiologia, ciência que estuda os provérbios, e autor do livro “Provérbios Europeus”.

A Vereadora do Turismo, Marlene Guerreiro relembrou o percurso desta Quinzena Gastronómica apresentada pela 1ª vez em 2009, no Centro de Interpretação e Educação Ambiental – Quinta do Peral, um espaço de valorização ambiental e dos costumes rurais; em 2010 foi a vez do Centro Explicativo e de Acolhimento da Calçadinha, acolher a história dos sabores, em ambiente de museu; seguiu-se a 3ª edição no Mercado Municipal, onde se compram produtos de qualidade, reservando para a 4ª edição a Horta Comunitária do Nascimento, num aproximar cada vez mais real às raízes e à origem dos produtos, cultivados a nível local. “Dando continuidade a esta lógica de reencontro com as raízes da alimentação, a 5.ª Quinzena Gastronómica são-brasense, em 2013, desvenda a receita do seu sucesso na Casa de Pasto Fortes, em pleno coração da Serra do Caldeirão, onde a essência da gastronomia é tão natural como o ar que se respira.”

alambiqueO Vice-Presidente da Câmara Municipal, Vitor Guerreiro desvendou o ambiente desta Quinzena, integrada na quadra festiva da Páscoa, uma época especialmente acarinhada pelos são-brasenses que todos os anos cumprem a tradição da Festa das Tochas Floridas, sempre ao domingo de Páscoa. “Esta manifestação cultural, expressa na passadeira florida que cobre as ruas da procissão, nas varandas agalanadas, nas tochas artísticas e na voz dos homens da terra, convida também a conhecer o sabor da tradição, nos folares, nas amêndoas tenras de São Brás de Alportel e claro, na Quinzena Gastronómica “Sabores do Caldeirão””. A terceira interveniente, Otília Eusébio sublinhou a importância do conceito Slow Food, praticado nesta quinzena, defensor das tradições gastronómicas de cada local enquanto elemento diferenciador das potencialidades turísticas de cada região. Num sentido mais alargado, este conceito valoriza a confeção de receitas típicas, com alimentos da época produzidos a nível local, acompanhados por momentos de convívio regados com vinhos do Algarve, uma sugestão adotada por todos os restaurantes participantes.

Padrinho da quinz RuiSoaresO padrinho desta edição, Rui Soares, conciliou a “valorização das tradições orais às tradições gastronómicas, saberes ancestrais que passam de geração em geração através da palavra.” Os provérbios estão presentes nas mais diversas áreas do saber, constituindo-se como memórias vivas do passado que transportam para o presente e futuro ensinamentos a preservar.

O Presidente da Câmara Municipal e Presidente da Associação Nacional das Citta Slow, desde 22 de dezembro de 2012, António Eusébio, encerrou a sessão relembrando a dimensão global do conceito Slow Food, que desencadeou o Movimento Mundial Citta Slow. Segundo António Eusébio, este movimento, assente em critérios de qualidade de vida, a nível do ambiente, do espaço urbano, das tradições e costumes, entre muitos outros fatores visa preservar o legado dos nossos antepassados, um legado que diferencia as potencialidades dos territórios tornando-os únicos e apetecíveis a um turismo cada vez mais seletivo.

António Eusébio terminou a sua intervenção com um convite “Para apetite ter, nada melhor do que comer” na Quinzena Gastronómica “Sabores do Caldeirão”.

 

Advertisements
por Algarve Press

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s