Voltas ao Algarve: Sergio Henao trepa para a liderança no Malhão

Colombiano da Sky parte para o contrarrelógio final com 7 segundos de vantagem sobre Rui Costa – 39ª edição da Volta ao Algarve em bicicleta

O colombiano Sergio Henao (Sky) é o novo camisola amarela da Volta ao Algarve, graças ao triunfo hoje alcançado na etapa-rainha, a terceira ligação da prova, uma viagem de 193 quilómetros, entre Portimão e o Alto do Malhão. O sul-americano prolongou o domínio da formação britânica na subida para o Malhão, local em que a Sky vence pelo terceiro ano consecutivo. Em 2012 impôs-se ali Richie Porte e no ano anterior Stephen Cummings.

39ª Volta Algarve em bicicletaSergio Henao atacou na subida final, deixando todos os adversários para trás, mesmo tendo cometido um pequeno lapso no percurso, a 75 metros da meta, que quase lhe custava a etapa. O segundo foi Rui Costa (Movistar), a 3 segundos, e o terceiro o holandês Lieuwe Westra (Vacansoleil-DCM), a 5 segundos.

Na geral, Henao dispõe de uma vantagem de 7 segundos sobre Costa e de 11 segundos sobre Tiago Machado (RadioShack-Leopard), segundo e terceiro, respetivamente. “Foi uma etapa boa, muito dura. A equipa apostava em mim, correspondeu ao que se esperava e eu também não desiludi. Já melhorei muito no contrarrelógio, mas ainda não sou um especialista. Prometo dar o máximo amanhã para tentar manter a camisola amarela”, disse o colombiano momentos antes de subir ao pódio.

Esta etapa era, teoricamente, a mais emocionante da corrida e, na prática, confirmou todas as expectativas. Houve constantes ataques, respostas do pelotão e muito público a aplaudir os corredores.

As movimentações e constantes mudanças na fisionomia da etapa fizeram com que a primeira fuga consistente acontecesse apenas já depois de percorridos os primeiros 90 quilómetros. Juntou-se, então, um grupo de luxo, formado por Sylvain Chavanel (Omega Pharma-Quick Step), David López (Sky), José Herrada (Movistar), Maarten Wynants (Blanco), Nelson Oliveira (RadioShack-Leopard), Ricardo Mestre e Jorge Azanza (Euskaltel-Euskadi), Bruno Pires (Saxo-Tinkoff), Bjorn Leukemans e Bertjan Lindeman (Vacansoleil-DCM), Arkaitz Duran (Efapel-Glassdrive) e Christopher Jones (UnitedHealthcare).

A diferença máxima foi de 5m00s, mas começou a descer abruptamente devido ao intenso trabalho da Omega Pharma-Quick Step. Apesar do esforço dos belgas, foi a Sky que teve o maior lucro, embora em termos de geral individual tudo permaneça em aberto para a última etapa, um contrarrelógio de 34,8 quilómetros que amanhã vai unir Castro Marim a Tavira.

Entre Sergio Henao e o 11.º, Tony Martin, há apenas uma diferença de 28 segundos. Além do colombiano, cuja camisola amarela pode servir de tónico de superação, são candidatos ao triunfo final homens como Rui Costa, Tiago Machado, Lieuwe Westra, Andreas Klöden, Denis Menchov, Michal Kwiatkowski e Tony Martin.

Rui Costa foi o melhor na etapa e tem igual honra na geral. “Já tinha dito que o Sergio Henao era favorito e ele confirmou-o. A tirada de hoje foi boa para os meus objetivos. Amanhã é o dia de tudo ou nada”, prometeu Rui Costa.

foto João Fonseca

By Algarve Press

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s