CM Albufeira faz Balanço de 2012 e perspetiva 2013

Ladeados pelo atual executivo, os presidentes da Autarquia e da Assembleia Municipal de Albufeira, José Carlos Rolo e Carlos Silva e Sousa, respetivamente, na presença de diversas entidades civis, militares, religiosas, associações, empresários e comerciantes, o edil albufeirense, José Carlos Rolo fez ontem o Balanço de 2012 e perspetivou 2013

Rolo ladeado pela vereação e AMNa cerimónia, que contou com a atuação do Coro da Câmara Municipal, o autarca  começou por afirmar: “Numa época de contenção a autarquia tem feito os possíveis para corresponder às expetativas dos munícipes do concelho de Albufeira e vai continuar a
fazê-lo em 2013. Evidentemente que, com as dificuldades inerentes ao atual estado da nossa economia, vamos ter que definir prioridades, mas ainda assim, o balanço de 2012 foi positivo”.José Carlos Rolo esclareceu que “se em anos anteriores o nosso investimento foi direcionado para a construção de infraestruturas, agora, fruto desta nova conjuntura financeira, a nossa aposta passa por investir no bem-estar das pessoas.

Jos Carlos Rolo1Muitos desconhecem que esta autarquia se substitui diariamente ao Estado no sentido de garantir que as necessidades dos munícipes são atendidas. Grande parte das políticas sociais – na educação, na proteção à infância, no apoio aos idosos e aos deficientes, na habitação social e no desporto-, é municipal. Essa é a nossa principal preocupação, e é para isso que trabalhamos todos os dias”.

O presidente da CM de Albufeira fez questão de frisar que “o dinheiro do Município não é mal gasto, sendo utilizado de maneira racional para garantir todo um conjunto de necessidades. Trabalhamos diariamente para que a qualidade de vida dos habitantes do concelho de Albufeira seja a melhor possível”.

Jos Carlos Rolo

A Ação Social tem sido uma das áreas de destaque e que continuará a ser tida em conta no novo ano. Em matéria de Educação, o executivo manteve os apoios ao nível da alimentação escolar (2.800 refeições diárias), transportes escolares, ensino das atividades de enriquecimento curricular, e o projeto “Educação no Verão”

assitencia Quanto à Cultura, tem-se apostado num reforço do papel da Biblioteca, Museus, Galerias de Arte e respetivas exposições. Nas questões do Ambiente, Albufeira voltou a liderar, conquistando o maior número de galardões ambientais a nível nacional:
21 Bandeiras Azuis, 18 praias com água de ‘Qualidade de Ouro’, 12 Bandeiras ‘Praia Acessível’, 8 zonas balneares com distinção ‘Praia Saudável’ e uma Bandeira ‘ECO XXI’.
Do ponto de vista dos Transportes urbanos, a autarquia continua a garantir a mobilidade dentro do concelho, de forma cómoda e célere, através do “GIRO”.No Desporto, houve um reforço da formação e participação da juventude nos espaços desportivos do concelho. “Não possuindo os meios financeiros para atribuir subsídios e contratos-programa, o Município de Albufeira continuará, na medida do possível, 
a colaborar com os clubes e associações desportivas através da disponibilização dos seus funcionários para a realização de um conjunto de atividades. O movimento associativo não pode desaparecer, já que desempenha um papel extremamente importante na vida dos nossos jovens”, assegura o autarca de Albufeira.

autorid e convid

A requalificação do Espaço Público também não foi esquecida. “Fizemos um esforço considerável em prol da conservação daquilo que é o espaço público, em termos de acessibilidades, criação de espaços verdes e de lazer”, destacou José Carlos Rolo.
No Turismo, o Município continua a valorizar a marca “Albufeira”, para que a cidade seja reconhecida como a “Capital do Turismo”, permitindo um maior desenvolvimento económico do concelho. “Fizémo-lo, muitas vezes, numa lógica de complementaridade com as associações e empresários, ouvindo as suas preocupações e as suas necessidades”,  salientou o autarca, acrescentando que, “em 2011, fomos eleitos o melhor destino para turismo jovem por parte de uma rádio catalã. Já este ano, o portal de viagens TripAdvisor colocou Albufeira no sexto lugar da lista das 10 Melhores Praias da Europa”.
coro juven albuf José Carlos Rolo relembrou que o Município, entre 2007 e 2012, sofreu uma redução das receitas, traduzida na redução acumulada de receita em IMT na ordem dos 57 milhões de euros, bem como uma quebra ao nível das taxas e licenças de construção de loteamentos e urbanizações. “Em 2007, recebemos cerca de 6 milhões de euros nesta
área e, em 2011, apenas 400 mil euros. Se somarmos estas duas parcelas, estamos a falar de 63 milhões de euros, que só por si tornavam praticamente a nossa dívida nula, isto é, a divida de curto prazo – a fornecedores, serviços e empreiteiros- que ronda os 32 milhões de euros e a divida de médio-longo prazo – às entidades bancárias – que é de
aproximadamente 30 milhões de euros. Esta divida aos bancos, e penso que é uma informação que deve ser dada às pessoas, foi somente para investimento em termos de obras”, esclareceu.

espetaculo dança O presidente da Câmara de Albufeira explicou ainda que o Município candidatou-se ao Programa de Apoio à Economia Local (PAEL), com o intuito de utilizar a verba para o pagamento de algumas despesas de faturação a curto prazo, que já se encontram fora do tempo de pagamento. “Espero que recebamos os 20 milhões de euros do PAEL, pois a nossa principal preocupação é pagar as faturas em atraso. Queremos dinamizar a vida económica das empresas do concelho e resolver um conjunto de problemas do dia-a-dia deste Município, que têm estado condicionados precisamente por falta destas condições financeiras”.
José Carlos Rolo deu a conhecer que a autarquia já liquidou cerca de 8 milhões de euros dos pagamentos em atraso e que, no contexto de contenção, reduziu a despesa com o pessoal, ao longo dos últimos três anos, em cerca de 5 milhões de euros.

Carlos Silva e Sousa Já Carlos Silva e Sousa evidenciou a necessidade de se reunirem esforços para vencer as atuais adversidades. “Temos que valorizar o movimento associativo local e aproximar a autarquia da comunidade para que, todos juntos, consigamos
ultrapassar a crise”, referiu. O presidente da Assembleia Municipal sublinhou que “Albufeira é um Município com caraterísticas especiais no contexto nacional, face à sua importância turística. O Poder Central deverá proceder à alteração da lei das finanças locais, para que municípios como o nosso tenham outra forma de financiamento, de
acordo com a riqueza que produzem”.
Quanto ao futuro, o edil de Albufeira garante que a autarquia vai continuar a apostar na redução das despesas, maximizando os recursos existentes.

By Algarve Press

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s